Skip to main content
Logótipo da Comissão Europeia
Estado da União
Superar a pandemia

Pioneirismo em vacinas e tratamentos seguros e eficazes

Vacinas
na UE
83,4 %
da população adulta da UE
receberam vacinação primária (1 ou 2 doses) contra a COVID-19
62 %
da população adulta da UE
receberam uma dose de reforço

Calendário de aprovação: vacinas seguras e eficazes contra a COVID-19

  1. 21 de dezembro de 2020
    BioNTech-Pfizer
  2. 6 de janeiro de 2021
    Moderna
  3. 29 de janeiro de 2021
    AstraZeneca
  4. 11 de março de 2021
    Johnson & Johnson
  5. 20 de dezembro de 2021
    Novavax
  6. 24 de junho de 2022
    Valneva

Uma resposta rápida ao vírus

Logo no início da pandemia, a Comissão celebrou acordos prévios de aquisição com produtores de vacinas em nome de Estados-Membros. Foi graças a esta previdência e à capacidade de garantir as entregas de vacinas que a Europa conseguiu superar a pior pandemia do último século.

O que foi feito?

A Comissão financiou parte dos custos suportados pelos produtores de vacinas com os 2,7 mil milhões de EUR do Instrumento de Apoio de Emergência. Em contrapartida, a Comissão comprometeu-se com um número acordado de vacinas, o calendário de entrega e o preço. Ao fazê-lo, contribuiu para o desenvolvimento e o fabrico de vacinas seguras e eficazes em tempo recorde.

Caso surjam novas variantes, se uma vacina adaptada for autorizada até ao outono de 2022, a UE terá acesso a entregas de vacinas adaptadas da BioNTech-Pfizer e da Moderna.

Evolução da quantidade de pessoas vacinadas na UE

 

Mais do que só vacinas

Quantas vacinas foram aprovadas até à data?

Seis
vacinas
foram autorizadas, após obterem a aprovação dos ensaios clínicos e processos de aprovação regulamentar mais rigorosos do mundo.
4,2 mil milhões
de doses de vacina
foram garantidas
1,7 mil milhões
de doses de vacina
foram entregues

Cooperação global e solidariedade

Desde o início, a Comissão tem estado empenhada na cooperação internacional na luta contra a pandemia. Tornámo-nos o maior fornecedor mundial de vacinas contra a COVID-19 e um dos principais doadores de vacinas ao mecanismo COVAX, uma iniciativa de caráter mundial que visa dar um acesso equitativo às vacinas contra esta doença. 

Resposta mundial
ao coronavírus
Mais de 2,4 mil milhões
de doses
de vacinas contra a COVID-19 foram exportadas pela UE para 168 países
478 milhões
de doses
foram doadas a países necessitados, em especial em África, principalmente através do mecanismo COVAX

A UE tem também estado na vanguarda da resposta do comércio mundial à pandemia de coronavírus. Durante a 12.ª Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio, em junho de 2022, os membros acordaram em renunciar a determinadas obrigações de propriedade intelectual relativas às vacinas contra a COVID-19.

Reabrir a Europa e o mundo

O Certificado Digital COVID da UE constituiu uma inovação crucial na resposta da Europa à pandemia e rapidamente se tornou uma norma mundial, que ajudou a retomar as viagens internacionais de forma segura. Em agosto de 2022, foram mais de 1,6 mil milhões as pessoas no mundo inteiro que puderam utilizar os Certificados Digitais COVID da UE para as suas viagens internacionais.

A UE desenvolveu uma norma mundial: Além dos 27 Estados-Membros, aderiram ao sistema 48 países e territórios não pertencentes à UE em cinco continentes.

Relançar o mundo

Construir uma União Europeia da Saúde forte

A nova Autoridade de Preparação e Resposta a Emergências Sanitárias (HERA) está a contribuir para o desenvolvimento, a produção e o armazenamento de medicamentos, vacinas e outras contramedidas médicas, como o equipamento de proteção individual.

Desde a sua ativação, a HERA:

  • Criou um grupo de peritos sobre variantes da COVID-19 para monitorizar as mutações
  • Comprou vacinas contra a varíola dos macacos
  • Criou o EU FAB — uma rede de resposta a emergências que assegura capacidades de produção para o fabrico de vacinas e medicamentos 
  • Começou a armazenar equipamento e medicamentos contra ameaças químicas e nucleares

Melhorar e promover a saúde na UE

Proteger os cidadãos da UE de ameaças transfronteiriças graves para a saúde.

Melhorar os medicamentos, os dispositivos médicos e os produtos importantes em situações de crise

Reforçar os sistemas de saúde

Reforçar a resiliência dos sistemas de saúde

A estratégia farmacêutica para a Europa, adotada em novembro de 2020, apresenta iniciativas concretas para garantir o acesso a medicamentos seguros, de elevada qualidade, a preços acessíveis para os pacientes e que colmatem necessidades médicas existentes. Visa igualmente reforçar a segurança do aprovisionamento, fazer face à escassez e promover a autonomia estratégica da UE. Em março de 2022, o mandato da Agência Europeia de Medicamentos foi reforçado de forma a permitir uma melhor monitorização e a atenuação da escassez de medicamentos críticos.

Utilização de dados para salvar vidas

Graças às lições aprendidas com a pandemia e às medidas adotadas desde então, a UE está agora numa posição mais forte do que nunca para combater futuras crises sanitárias.

Declaração de exoneração de responsabilidade: Os dados desta página foram atualizados pela última vez em 31 de agosto de 2022.

Progressos noutros domínios

Realizações

da Comissão von der Leyen